Novo projeto

Time do Bored Ape Yacht Club levanta US$ 258 mi com NFTs do metaverso Otherside e trava rede Ethereum

A corrida pelos terrenos virtuais no projeto de metaverso centrado nos Apes já custou mais de US$ 176 milhões a traders somente em taxas

Por  CoinDesk

Depois de muito alvoroço, a Yuga Labs começou a tão esperada venda dos terrenos virtuais na tarde do sábado (30) — uma estreia pública do projeto de metaverso Otherside. Além de a empresa ter levantado aproximadamente US$ 285 milhões com uma grande corrida pelos terrenos, também criou um dos maiores gas fees (taxas de rede) da história da Ethereum (ETH): investidores gastaram mais de US$ 176 milhões somente em taxas nas últimas 24 horas.

Até o momento, o Otherside é o maior lançamento de produto da empresa conhecida pela criação da coleção de tokens não fungíveis (NFTs) do Bored Ape Yacht Club (BAYC). Durante a venda, traders pegaram uma oferta limitada de 55 mil NFTs de Otherdeeds, que representam títulos de pedaços de terrenos virtuais de um futuro espaço social em 3D.

Cada um custa cerca de US$ 7 mil e estava disponível para compra apenas com ApeCoin (APE), a criptomoeda oficial da Yuga Labs. Até o fechamento desta matéria, o menor preço listado de um Otherdeed em marketplaces secundários, como a OpenSea, foi de 7 ETH (aproximadamente US$ 19 mil).

A noite foi uma vitória para a empresa, que havia arrecadado US$ 450 milhões da gigante de venture capital Andreessen Horowitz, e meio que um desastre para o resto das pessoas. (O valor arrecadado pelo Otherside foi ainda maior na noite do sábado — cerca de US$ 320 milhões — mas, desde então, o valor da APE caiu).

A empresa se retratou publicamente após o caos com as taxas:

“Essa foi, de longe, a maior quantidade de NFTs cunhada na história e, ainda assim, o gas usado mostrou que a demanda era muito maior do que as mais altas expectativas de qualquer um”, informou a nota publicada no Twitter. “Pedimos desculpas por ter travado a Ethereum por um tempo”.

A declaração também menciona a devolução de gas fees aos traders, embora não esteja claro como isso poderia acontecer.

Tipicamente, a taxa média para uma transação na Ethereum aumenta se houver congestionamento geral na rede; quando traders lutam pelos mesmos tokens ao mesmo tempo, os preços sobem para todos. Esse fenômeno é conhecido como “gas war” (ou guerra de gas) — usuários competem para ter sua transação processada no topo da fila dos mineradores.

Segundo a calculadora do site de dados de blockchain Dune Analytics, a média de preço do gas era de cerca de 800 Gwei (unidade de medida das taxas de ETH) na manhã de ontem, com picos de 6 e 7 mil. Durante essas ondas, uma transação simples (por exemplo, enviar alguns dólares em criptomoedas para um amigo) pode custar até US$ 3 mil.

Esses altos custos levaram a um questionamento sobre a viabilidade a longo prazo da Ethereum como hospedeira de projetos de NFTs de larga escala. No fim do seu pronunciamento, a Yuga Labs ainda cogitou a ideia de desenvolver uma blockchain própria dedicada:

“Parece estar claro que a ApeCoin vai precisar migrar para sua própria chain, visando escalar apropriadamente. Gostaríamos de encorajar a DAO a pensar sobre isso”.

É óbvio que a empresa declarou que, na verdade, não controla a organização autônoma descentralizada (DAO, na sigla em inglês) da ApeCoin. Talvez, ela possa doar alguns dos seus ganhos de ontem para a causa.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe